Pesquisar este blog

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Don't give in without a fight...


... ou do give in, você que sabe. Lutar para quê? Não existe verdade absoluta. Quando se luta está-se sempre lutando por uma causa própria. É importante entender isso. Não existe verdade norteadora, mas consenso, que para ter êxito deve estar abalizado pelo bom senso... mas bom senso não existe, logo, tudo é uma simples questão de decisão. Poder. Não é a toa que todo mundo quer.


O Poder cria Verdades.


Mas não se trata disso a postagem. Devido aos inúmeros pedidos, aos muitos e-mails e cartas que chegaram pelo correio. Graças aos telefonemas que recebi durante todo a madrugada de ontem. Exclusivamente porque conseguimos nos livrar dos processos legais...

Vertú. Ou Vertu. Não sei ao certo. Os caras que fizeram essa obra muito singular são simplesmente o grande baixista de jazz Stanley Clarke, técnico, criativo, inventivo, tocou com Coppeland, Jeff Beck, Al Dimeola, George Duke e por aí vai, coroa bizarro. O Vertu também conta com o baterista jazz/funk Lenny White, outra figura pop do jazz fusion. Rachel Carmel Nicolazzo (wikipedia stuff), pianista premiada e conhecida na cena jazzística; Karen Briggs, violinista versátil (achei bastante sensível a participação dessa mulher) e, ninguém menos que Mr. Kotzen na guitarra, fazendo um trabalho incrível que fundiu, literalmente, tradição e contemporaneidade.

O álbum é ótimo. Não há mais o que dizer. É uma experiência sonora muito inspiradora e vai tocar uns mais que outros, mas com certeza não vai desagradar ninguém (pelo menos qualquer um que não tenha uma cabeça de pandeiro).

http://www.4shared.com/file/39128693/7283fe2e/Vertu_-_Vertu_1.html

e

http://www.4shared.com/file/39132769/46d1a81c/Vertu_-_Vertu_2.html

2 comentários:

nataniel metz disse...

Puta merda!

Baixo foda!

Rafa,, disse...

ah esqueci o q ia escrever. tsc